PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 8812-5277

quinta-feira, 16 de julho de 2020

PARANÁ - Esposa e amante confessam morte de entregador e dizem que assim “poderiam viver juntos”

Três pessoas foram presas suspeitas pela morte de Maicon Dionatas do Espírito Santo, crime ocorrido na última quinta-feira (9), no bairro São Braz, em Curitiba. A esposa, o amante dela e mais um homem foram detidos. Segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (16), este terceiro envolvido foi o responsável por intermediar o encontro entre o casal e o atirador, que está foragido. O casal suspeito confessou o crime e disse, em depoimento, que assim poderiam, finalmente, viver juntos.
Segundo a Polícia, Dionatas voltava do trabalho em uma motocicleta. Ao chegar em casa, teria buzinado pedindo para que a esposa abrisse o portão. Neste momento, um homem apareceu e atirou na vítima. Dionatas morreu na hora. A mulher permaneceu dentro de casa, com a filha de cinco anos do casal.
A delegada Tathiana Guzella, da Divisão de Homicídios de Proteção à Pessoa (DHPP), informou que a mulher e seu amante teriam planejado a emboscada. “A vítima não teve qualquer chance de defesa. Era uma pessoa que trabalhava há cinco anos no mesmo local e era querido por todos”, destacou à Banda B.
A DHPP informou ainda que ambos confessaram o crime na delegacia. “Eles planejaram por meses, quase todos os dias, como seria a ação criminosa. A mulher foi a idealizadora do crime. O amante, completamente apaixonado, foi convencido da situação”, pontuou Tathiana.

O crime e prisões

Segundo a polícia, após topar a ideia, o amante indicou uma pessoa que poderia ser o executor da morte de Dionatas. Quando fizeram os primeiros contatos com um intermediador, o casal teria pago um valor de R$ 4 mil para a contratação dos serviços. “O encontro dos três envolvidos no crime, foi três semanas antes da morte de Dionatas. Este encontro teria sido na casa do intermediador, ou seja, quem apresentou o atirador ao amante. O casal efetuou um pagamento de R$ 2 mil em espécie. O restante seria pago após o crime”, detalhou a delegada.
Pouco tempo depois do assassinato, o intermediador e o amante trocaram mensagens sobre o segundo pagamento. Tahiana disse que o intermediador enviou uma fotografia com o cartão do banco e os dados pessoais, para receber o depósito. “Naquela madrugada, entre os dias 9 e 10, a DHPP já estava investigando o crime. O pagamento não ocorreu. O amante foi preso em flagrante, na sexta-feira (10), no local de trabalho. Na delegacia, ele confessou”, explicou.
Naquele final de semana, a equipe policial representou na Justiça, mais três pedidos de prisão. Da esposa, do intermediador e do atirador. A mulher foi presa nesta terça-feira (14) e o intermediador na quarta-feira (15) “O amante teve a prisão convertida em preventiva, ou seja, sem data para acabar. A esposa está presa de forma temporária”, explicou.
A Polícia Civil ainda informou que os suspeitos devem ser qualificados por homicídio qualificado mediante a pagamento, impossibilidade de defesa da vítima e crime mediante a emboscada.

Desaparecido

A DHPP segue nas investigações para encontrar o atirador. Segundo Tathiana, após saber que ele estava sendo procurado, o suspeito desapareceu da região onde costuma estar. “Nós sabemos que ele tem passagens por roubo e receptação. Neste momento, ele está em um local incerto e desconhecido. Nós estamos pedindo ajuda a população para quem souber do paradeiro, ajude-nos a tirar o atirador das ruas”, concluiu a delegada.

Nenhum comentário: