PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 8812-5277

sábado, 2 de maio de 2020

Bombeiros de Apucarana retiram corpo de Maria Helena de poço; Suspeito confessou o crime

A equipe da Polícia Civil chegou de Santa Catarina por volta das 21 horas sexta-feira (1). Thomaz estava algemado. O assassinato com as agravantes de feminicídio e ocultação de cadáver foi consumado em Apucarana. Thomas foi preso na manhã de 7 de março deste ano, em uma casa em São Francisco do Sul, no Litoral de Santa Catarina. “Desde o início das investigações já tínhamos convicção sobre a autoria do crime e após a prisão do Thomaz, aguardamos a autorização da Justiça para recambiar o suspeito de homicídio com agravante de feminicídio e ocultação de cadáver. A caminho de Apucarana ele já confessou o crime informalmente. Thomaz disse que no dia do homicídio teve uma discussão com a mulher por causa de sujeira na casa e envolvendo dinheiro; conforme o suspeito, a mulher teria expulsado ele de casa depois que o mesmo estava dando comida para uma dos filhos do casal e nisso caiu um pouco de alimento no chão e a mulher já teria começado a discutir com ele novamente e a discussão avançou para questões financeiras; na sequência ela teria expulsado o mesmo de casa, conforme a versão do suspeito”, contou o delegado. Segundo o doutor Marcus ouviu de Thomaz, Maria Helena de Carvalho foi para o quarto com as crianças e Thomaz ficou dormindo na sala. “Segundo ele, em determinado momento, a mulher foi para sala novamente, teria pegado uma faca e o casal começou a brigar. Em seguida ele deu “mata leão” na mulher, os dois continuaram brigando e ele acabou matando a mulher a facada, mas disse que não tinha intenção de matá-la”, disse o delegado.

Depois ele enrolou o corpo da manicure em um cobertor, o colocou no porta-malas do carro da família e jogou o cadáver em um poço localizado em uma propriedade rural. “Agora vamos formalizar o depoimento do Thomaz e acionar o Corpo de Bombeiros para localizar e resgatar o corpo da Maria Helena de Carvalho e dar sequência no inquérito relativo ao caso”, adiantou o delegado-chefe da 17ª SDP.
O doutor Marcus acrescentou que Além do mandado de prisão expedido pela Justiça de Apucarana, Thomas também era procurado em Santa Catarina, onde tinha um mandado de prisão em seu desfavor por tentar matar uma mulher. Em Santa Catarina ele estava usando o nome falso de Douglas e já convivia com uma outra mulher, que desconfiou quem era ele, e o denunciou à Polícia catarinense, que efetuou sua prisão
A Polícia Civil desconfiava que Thomaz poderia estar em Santa Catarina, interior de São Paulo, Uruguai ou Paraguai. O assassino chegou nesta sexta-feira (1), por volta das 21 horas, em Apucarana, onde vai ficar à disposição da Justiça no Mini Presídio local.
Thomas já estava casado há quatro meses com uma outra mulher e usando um nome falso. Essa mulher ficou desconfiada, procurou na internet e descobriu que ele era procurado e chamou a polícia.
Já a manicure Maria Helena tem um filho de 8 anos de um relacionamento anterior e uma filha de três anos com Thomaz. As crianças hoje vivem com os avós.
Maria Helena de Carvalho foi vista em Apucarana pela última vez no dia 11 de setembro de 2019.
A Polícia Civil classifica o caso como um feminicídio e trabalhava há vários meses para localizar Thomas de Oliveira de Melo, que era marido da Maria Helena na época do desaparecimento.
Segundo a Polícia Civil, na noite de 11 de setembro de 2019, o casal se desentendeu. Já no dia posterior a manicure não foi mais vista.
As imagens de segurança do prédio onde o casal residia mostraram que, no dia 12, durante a madrugada, Thomas saiu com seu veículo e voltou para o apartamento a pé.
Investigadores apuraram ainda que ele teria deixado o automóvel em via pública na lateral do edifício. O suspeito de feminicídio saiu ao amanhecer com a filha de três anos e com o filho de Maria Helena, um garoto de oito anos fruto de relacionamento anterior.
Imagens de câmeras de segurança apontaram ainda que depois Thomas retornou para o prédio sozinho. Um detalhe chamou a atenção dos policiais civis: entre os dias 13 e 14 de setembro de 2019, ele vendeu alguns móveis do apartamento. Já no dia 15 Thomas saiu com duas malas do edifício e sumiu.
A Polícia Civil realizou no dia 12 de novembro de 2019 buscas em um terreno situado no Núcleo Orlando Bacarin, próximo do Viveiro Municipal. Denúncias davam conta que o corpo de Maria Helena estaria no local, mas nada foi achado.
Até hoje o corpo da manicure Maria Helena de Carvalho não foi localizado, mas agora, com a prisão de Thomas e a transferência dele para Apucarana, a Polícia Civil espera esclarecer todos os detalhes relativos ao caso.
As equipes da Polícia Civil e dos Bombeiros estão na manhã deste sábado (02), fazendo buscas no Poço na chácara próximo ao Loteamento Belvedere em Apucarana. Informações do Canal 38.

Nenhum comentário: