PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 8812-5277

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Covid-19: com recorde de casos em 24h, Brasil tem um 'Maracanã' cheio de doentes

O Brasil registrou nesta quarta-feira (29) o maior número de infectados por coronavírus notificados em 24 horas desde que o primeiro caso da Covid-19 foi confirmado, em fevereiro. Foram 6.276 novas infecções no período. Com isso, total de doentes salta para 78.162 no país.

Resumo do boletim do Ministério da Saúde desta quarta-feira

78.162 casos de coronavírus no Brasil, com 6.276 novas infecções em 24h
5.466 mortes causadas pela Covid-19, com 449 novos óbitos
Letalidade segue a 7% no país
Após recorde de mortes em um único dia registrado nessa terça-feira (28), quando foram notificados 474 falecimentos devido às complicações da Covid-19, Brasil registrou 449 mortes nas últimas 24 horas nesta quarta-feira. Total de falecidos chegou a 5.466, e a letalidade da doença se manteve estável em relação ao último balanço, a 7%.

Um Maracanã lotado de doentes

A quantidade de infectados pelo coronavírus no Brasil representa, praticamente, um "Maracanã lotado". O estádio carioca, que inclusive será usado pela prefeita da capital fluminense como hospital de campanha para abrigar 400 leitos, sendo 80 de CTI, a partir do próximo dia 30, tem capacidade para 78.838 torcedores. O número é próximo ao total de doentes no país.
O número de casos confirmados de coronavírus no Brasil também supera a população de 92,4% das cidades brasileiras. São 78.162 infecções no país, segundo balanço desta quarta-feira (29) do Ministério da Saúde, número que é maior do que a quantidade de habitantes de 5.150 municípios no Brasil, onde vivem até 80 mil pessoas.
Com 5.466 mortes causadas pela Covid-19, número de óbitos é maior do que a população de 24,9% das cidades do país. Isso quer dizer que a quantidade de pessoas que faleceu por causa do coronavírus supera os habitantes de 1.392 dos 5.570 que existem no Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).




O Tempo

Nenhum comentário: