PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

domingo, 3 de novembro de 2019

Com salário de R$ 19 mil, juiz se diz endividado com fim do auxílio-moradia

Juiz de Ibirubá (RS) disse estar endividado após corte de auxílio-moradia Por dever a banco, se negou a julgar processo contra o Banrisul Magistrado ganha mais de R$ 19 mil por mês Ele diz querer abrir discussão sobre salário com sua decisão
Imagem: Portal UOL
O juiz Ralph Moraes Langanke, da comarca de Ibirubá (RS), disse ao UOL estar passando por uma situação financeira delicada. Apesar de ganhar mais de R$ 19 mil por mês, cerca de 19 salários mínimos, ele afirmou ter se endividado desde de que seu auxílio-moradia de quase R$ 2.000 mensais foi cortado, após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal). E essa dívida, agora, tem o impedido de realizar seu trabalho como magistrado. Por ser devedor do Banrisul (Banco do Estado do Rio Grande do Sul), Langanke já se declarou suspeito para julgar cerca de 20 ações em que a instituição financeira está envolvida. "Em razão da redução real dos salários da magistratura gaúcha provocada pela cessação do pagamento do auxílio-moradia (no meu caso, a redução nominal do salário foi de quase R$ 2.000), tornei-me devedor do Banrisul, visto que, para recuperar o limite do cheque especial, tive que contrair dois empréstimos consignados, cujo pagamento será feito em 84 prestações mensais e sucessivas. Declarome suspeito para julgar a presente ação", declarou ele, num processo. "Salário injusto e defasado" - Langanke é juiz há 22 anos. Sempre trabalhou para a Justiça Estadual do Rio Grande do Sul. Reclamou, porém, que o estado paga baixos salários a seus juízes na comparação com outras unidades da federação. "Não acho justo", afirmou ele, em entrevista. "Pelo trabalho que exerço, pelo risco que corro todos os dias, acho que merecia ganhar mais." O juiz disse que tem duas filhas pequenas. Desde que elas nasceram, suas despesas triplicaram. E vêm subindo mês a mês, diferentemente do seu salário. "Meu salário é bom para uma pessoa solteira. Para quem é casado, tem duas filhas, é pouco." Vejam a reportagem completa no portal UOL, CLIQUE AQUI.

Nenhum comentário: