PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 8812-5277

terça-feira, 12 de novembro de 2019

Criança leva 13 pontos na perna após acidente em escada rolante de shopping

Era para ser um sábado de passeio no shopping para Kelen Priscila Machado Busato, a mãe dela e o pequeno Pedro, de apenas 4 anos, mas um acidente transformou a tarde em um pesadelo. Com ingressos na mão para assistir ao filme "A Família Addams", por volta das 17h30 do dia 9, a família descia a escada rolante do Shopping Ventura, em Curitiba, no Portão, quando Pedro deu um grito. Em um primeiro momento, Kellen achou que ele havia machucado a mão, que estava cheia de sangue, mas logo a mãe percebeu um corte imenso na panturrilha do menino. “Era muito sangue. 
Não entendemos nada, ele estava quieto de mão dada comigo. No momento eu não entendi, e nem tinha tempo para a isso, só queria que a dor do meu filho parasse, que o sangue parasse”, contou, chorando, Kellen à reportagem do Bem Paraná. A direção do shopping então providenciou uma ambulância da Ecco Salva que encaminhou a criança para o Hospital Pequeno Príncipe, onde a criança teve que passar por uma cirurgia e levou 13 pontos, tudo custeado pelo plano de saúde do menino.  Já no dia seguinte do acidente, no domingo (10), a família pediu que a escada fosse interditada, uma perícia na escada e imagens do momento do acidente para entender o que aconteceu. “Não quero que mais nenhuma criança passe pelo o que Pedro passou. É muito perigoso. Os médicos disseram que se Pedro fosse um pouco mais magro, o acidente poderia ser fatal”, disse Kellen. Segundo o advogado da família, João Carlos Farracha de Castro, no entanto, a escada não foi interditada, a gerência do shopping disse que não liberaria as imagens, a não ser com ordem judicial, e ainda não entregou o laudo, embora tenha dito que a escada rolante não apresenta problemas. “A nossa intenção era apenas entender o que aconteceu e evitar que outras crianças e adultos passem pelo mesmo sofrimento, mas diante da postura do estabelecimento, teremos que buscar os caminhos judiciais para esclarecer esse episódio, que foi muito grave”, explicou ele. Na tarde desta terça (12), uma denúncia foi formalizada no Ministério Público do Paraná (MPPR).  Em nota, o shopping disse que a escada está em perfeitas condições de funcionamento e com as vistorias em dia (veja abaixo na íntegra).
De acordo a Kelen, a alegação do shopping é que a criança estava com o pé na faixa amarela e que a mãe estava um degrau acima da mãe. “Em vez de esclarecer o que aconteceu, eles tentaram nos culpar. Pedro estava num degrau acima, porque a escada é estreita e não cabemos os dois no mesmo degrau, mas ele estava quieto e de mão dada comigo. Além do que, minha mãe estava logo atrás dele. Para se ter uma ideia, ela nem notou nada até que eu levantei Pedro no colo”, explicou Kelen. “Se eles querem esclarecer, porque não quiseram liberar o vídeo?”, questionou o advogado.
Escada sem proteção
Em imagens feitas por familiares no dia seguinte do episódio na escada rolante, é possível perceber que a lateral da escada não possui a proteção de borracha, como em outros estabelecimentos, e que há um pedaço da escada que está em relevo, desencaixado (veja foto). “É o que pudemos perceber em imagens que fizemos. Queremos esclarecer, mas o shopping se nega. Durante as conversas com a superintendência e gerência do local, chegaram a falar que o corte foi superficial”, contou Farracha, que se prepara para acionar judicialmente o estabelecimento.
Fonte: BemParaná

Nenhum comentário: