href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Polícia esclarece autoria de homicídio no “Dias do Pais” em Ivaiporã

Após dois dias de investigação, a equipe da Delegacia Regional da Polícia Civil de Ivaiporã (54ª DRP) identificou o autor do homicídio de Júlio Cesar Paiva, 38 anos. Ele foi encontrado morto com várias facadas no domingo, em uma rua que faz fundo ao Pronto Atendimento Municipal (PAM), na Vila Santa Maria. O delegado titular do 54ª DRP, Aldair da Silva Oliveira, aponta Rafael da Silva Oliveira, 18 anos como o autor do homicídio. Rafael mora próximo onde a vítima foi encontrada morta. Ainda segundo o delegado, o autor das facadas foi ouvido e confirmou a autoria do crime. Conforme o delegado, as diligência foram iniciadas no próprio domingo. “Desde o início, nós tínhamos uma linha de investigação que apontava para uma pessoa (Rafael). Fizemos outras diligências ontem (segunda-feira), e logramos êxito em chegar a essa pessoa, confirmando as suspeitas que tínhamos no domingo”. O delegado relata que no dia do crime a Júlio Cesar foi visto com Rafael, e ambos haviam ingerido bebidas alcoólicas. “O que nós temos apurado é que autor e vítima estavam em um baile na noite anterior. Por circunstâncias que nós ainda vamos esclarecer, os dois se dirigiram nas proximidades da casa do suspeito. Lá por algum desentendimento o autor veio a esfaquear a vítima”. Ainda segundo o delegado, ao tomar conhecimento das investigações Rafael se apresentou na delegacia acompanhado de um advogado. “Ele admitiu a participação no homicídio, agora a gente segue em outras diligências para poder fortalecer o manancial probatório que já temos, e isso para nível de júri popular é muito importante”. Durante a oitiva, Rafael teria alegado legitima defesa. “Só que algumas das alegações que ele prestou contradiz com o que apuramos até agora. Vamos ouvir outras testemunhas, e se persistir essas inconsistências do que ele fala com o que apuramos, nós não descartamos fazer uma reprodução simulada dos fatos”. Como Rafael se apresentou espontaneamente, ele foi ouvido e liberado. Informações Ivan Maldonado do Jornal Tribuna do Norte, vejam mais detalhes CLIQUE AQUI.

Nenhum comentário: