href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

domingo, 4 de agosto de 2019

Comediante famoso nacionalmente se apresenta para teatro quase vazio na região

O comediante Batoré, conhecido nacionalmente, realizou um show para um teatro praticamente vazio na noite deste sábado (3), em Marialva. Ex-ator da globo e personagem do programa A Praça é Nossa do SBT, o artista se apresentou para apenas 40 pessoas que adquiriram ingresso para apresentação que aconteceu no Cine Teatro Sonia Silvestre. De acordo com pessoas que estavam no local, o ator teria cumprimentado um a um na plateia, e em seguida, realizado o show normalmente. Batoré tem cerca de 30 anos de carreira no humor e na televisão. Vejam a nota publicada por Evandro Mandadori, jornalista de Marialva: "Está acontecendo neste momento, um show de humor com o comediante Batoré, em Marialva. O ex-ator da Globo e personagem do programa A Praça é Nossa, do SBT, subiu ao palco às 21:00 horas. O problema é que MENOS de 40 pessoas foram até o Cine Teatro Sonia Silvestre para acompanhar o show de stand up comedy. Essa não é a primeira vez que um show de "nível nacional" não atrai um público expressivo. Mesmo sendo um comediante conhecido, as vendas não "decolaram". Batoré, que tem mais de 30 anos de história na TV e no humor brasileiro, passou de um a um no público, agradeceu, conversou e logo depois subiu ao palco. A atitude do humorista foi aprovada pelo público presente, em uma clara demonstração de respeito, junto aqueles que adquiriam o ingresso. Opinião: Por muitas vezes, eu e outros sócios, também de Marialva, nos aventuramos em contratar "figuras de nome" (Paulinho gogó, Matheus Ceará, Diogo Portugal) para apresentações e nunca as vendas foram satisfatórias (isso em tempos que nem se falava em crise). É uma pena!" finalizou.

Nenhum comentário: