href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Menina de 2 anos compra sofá de mais de R$ 1.600 sem querer pelo celular da mãe

Repense aquele momento em que você entrega o celular na mão do seu filho para que ele brinque um pouco ou assista a algum vídeo, enquanto você termina alguma tarefa. Não, não estamos falando dos clássicos alertas sobre segurança e prejuízos à saúde e ao desenvolvimento,mas dos riscos também à sua conta bancária. Isabella McNeil, uma mãe da Califórnia, nos Estados Unidos, descobriu que, em questão de segundos, sua filha de 2 anos, Rayna, comprou um sofá no valor equivalente a pouco mais de R$ 1.600 pela internet. Em entrevista à emissora NBC, ela explicou que estava procurando móveis do tipo recentemente, mas, pelo visto, tinha se esquecido de fechar a página do site. Ela contou que não sabia de nada e só descobriu a compra quando o móvel já estava na transportadora, a caminho de sua casa. Ela só se deu conta quando recebeu uma mensagem que dizia: "Seu sofá está a caminho". "Fiquei chocada e pensei: 'será que comprei um sofá enquanto dormia?'", disse ela. O site pelo qual a menina comprou o sofá tem um botão chamado "compre agora", que possibilita aos clientes adquirirem os itens que desejam com apenas um clique, depois de terem cadastrado seus dados pessoais e de cobrança. McNeil disse ainda que tentou cancelar a compra, mas não conseguiu porque, como ela já estava a caminho, ela teria de pagar a taxa de devolução e a de transporte, de acordo com a política da loja, e o valor não compensaria. Ela está tentando vender o produto pela internet. "Agora eu sei que é perigoso e que preciso ter certeza de que os aplicativos de compra estão fechados e bloqueados antes que minha filha pegue o aparelho", diz a mulher. Colaboração, Revista Crescer /Foto: Reprodução/ NBC.

Nenhum comentário: