href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Tecpar avança no processo para produzir a vacina pentavalente

Representantes do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) participaram de uma missão técnica para auditar as Boas Práticas de Fabricação da empresa indiana que fornece ao Ministério da Saúde a vacina pentavalente. Essa é uma das etapas para que o instituto possa produzir o medicamento, a pedido do ministério, para as campanhas de vacinação nacionais. A missão foi liderada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia um pedido de registro do Tecpar para o produto. A vacina pentavalente garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, a bactéria Haemophilus influenza tipo b (responsável por infecções no nariz e na garganta, entre outros) e, ainda, contra a hepatite B. Atualmente, a vacina é adquirida por meio do Fundo Rotatório da Organização Panamericana das Américas (OPAS), que importa parte da demanda da empresa indiana Biological E. O Tecpar iniciou um projeto de registro com a Biological, uma das principais fornecedoras da vacina para o SUS. Por isso, a diretora comercial do Tecpar, Danielle Portela, e a farmacêutica Carolina Perottoni acompanharam a auditoria. “Participar da auditoria em Boas Práticas de Fabricação de um fornecedor é uma das etapas para a obtenção do registro junto à Anvisa. Com o documento, o Tecpar poderá fornecer o medicamento ao SUS”, explica Carolina. A diretora comercial destaca que com o registro, o instituto fornecerá vacina ao Ministério da Saúde por meio de encomenda tecnológica. “Isso significa que, em um primeiro momento, o Tecpar forneceria o insumo do parceiro, a Biolgical, para que, com a transferência de tecnologia, tenha acesso a toda produção”. Ela acrescenta que produzir a vacina no Brasil será fundamental para dar mais segurança à imunização das crianças. Desde 2012, o Programa Nacional de Imunização (PNI) oferta a vacina pentavalente no calendário de vacinação. As crianças devem tomar três doses da vacina – aos dois, quatro e seis meses de idade.

Nenhum comentário: