href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

quarta-feira, 8 de maio de 2019

Em dia de sorte, pescadores de Matinhos pegam uma tonelada de peixes de uma só vez

A segunda-feira (06) foi bastante produtiva para um grupo de pescadores de Matinhos, no Litoral do estado. A bordo do barco Energia Positiva II, eles pegaram nada menos do que uma tonelada de pescada-branca, um peixe considerado de difícil captura na região e de alto valor comercial — e tudo isso sem querer. Dono da embarcação, Osmar Machado explica que a “pescaria abençoada”, como ele mesmo chama, aconteceu por causa de uma série de acasos. Segundo ele, a pescada-branca é um tipo de peixe que fica em regiões mais profundas e que, por isso, era preciso de uma rede de fundo, específica para esse tipo de pescaria e que, em média, consegue pegar entre 20 e 30 quilos de peixes. No caso, a tripulação do barco estava com uma rede de cerco, capaz de pegar grandes quantidades, mas apenas quando os cardumes estão mais à superfície. Por estarem com este tipo de rede, os pescadores do Energia Positiva II se prepararam para pegar outro peixe. “Eles miraram na cavala e acertaram a pescada”, conta Machado, que não participou da pescaria por causa de um machucado, mas que acompanhou toda a ação via celular. Assim, com um único arremesso de rede, eles tiraram uma tonelada de peixe. Segundo Machado, essa não é a primeira vez que um lance de sorte desse tipo acontece. “Há alguns anos, meu irmão conseguiu 3,2 toneladas de pescada-branca assim”, diz. Porém, ele destaca que é muito raro que esse tipo de coisa aconteça — coisa de duas ou três vezes por ano. “É quase uma loteria entre os pescadores”. E a comparação faz sentido também no bolso. De acordo com o dono do Energia Positiva II, a pescaria abençoada de segunda-feira rendeu nada menos do que R$ 15 mil para o grupo. “Em um dia normal, a média de peixe que a gente pega varia de 80 a 150 quilos — coisa de R$ 1 mil. Mas tem dias que não pegamos nada, então a pescaria de ontem compensou bastante”, desabafa Machado. Mais detalhes na Tribuna do Paraná CLIQUE AQUI.

Nenhum comentário: