href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Procon de Maringá multa Sanepar e Agepar em mais de R$ 1,5 milhão

O Procon de Maringá, no norte do Paraná, multou preventivamente a Sanepar e a Agência Reguladora do Paraná (Agepar) por causa do aumento autorizado de 12,13% na tarifa de água e de esgoto. As multas somam mais de R$ 1,5 milhão.De acordo com o órgão, caso o reajuste - previsto para 17 de maio - seja efetivado as multas de R$ 1.031.823,36 para a Sanepar e de R$ 477.696,00 para a Agepar serão efetivadas.O diretor do Procon de Maringá, João Luiz Regiani, afirma que o aumento autorizado pela Agepar, somado aos reajustes na tarifa de água e esgoto desde 1994, quando entrou em vigor o plano real, gerou ganho real de 43,24% acima da inflação em favor da Sanepar.“Os ganhos dos acionistas da empresa, composto na sua maioria por fundos de investimentos internacionais, passaram de 25% para 50% na forma de dividendos complementares a partir de 2011”, diz Regiani.Para justificar a multa, o Procon explica que o lucro líquido da Sanepar saiu de R$ 135,5 milhões em 2010 para R$ 892 milhões em 2018 - aumento de 558,6%.No mesmo período, ainda segundo o órgão, a receita operacional líquida passou de R$ 1,480 bilhão para R$ 4,162 bilhões. Já os dividendos distribuídos aos acionistas cresceram mais de 1.000 %, chegando a R$ 423,8 milhões, conforme o Procon."A empresa trata a água como mercadoria, proporcionando ganhos aos acionistas em detrimento dos usuários”, justifica o diretor.Sobre a Agepar, a explicação para a multa está baseada no regimento interno da agência, que, segundo o diretor, tem a responsabilidade de fiscalizar os custos dos serviços para proteger os usuários de tarifas abusivas.“A agência não vem cumprindo fielmente o regimento, conforme resolução de 2018”, afirma Regiani.A reportagem entrou em contato com a Agepar e a Sanepar, que informaram que não foram notificadas oficialmente das multas.


Nenhum comentário: