href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

sexta-feira, 12 de abril de 2019

Garoto da região comemora ao vencer o câncer

Depois de 9 meses fazendo quimioterapia, o pequeno Gabriel fez, recentemente, um transplante de medula óssea que foi um sucesso.
Em 2017, aos 4 anos de idade, Gabriel Katayama Fenili passou a ter febre com frequência. Perdia vários dias de escola por conta do problema de saúde. Preocupada, a mãe, Marina Katayama Fenili, levou o pequeno maringaense diversas vezes ao médico. No entanto, o diagnóstico inicial era gripe. Depois de várias consultas, em agosto daquele ano, o menino fez um exame de sangue que constatou várias alterações. “Abri o resultado de noite e levei um susto. Estava tudo alterado”, lembra a mãe. Gabriel precisou ser internado de imediato e mais exames e uma biópsia apontaram que ele estava com neuroblastoma, um câncer que geralmente acomete crianças. No caso dele era no mediastino - região da caixa torácica entre os pulmões que contém o coração, o esófago, traqueia, timo e a aorta torácica. No dia 1º de setembro, Gabriel precisou ir para Curitiba para iniciar o tratamento. Foram 9 meses de quimioterapia. “Em julho do ano passado, a médica disse que não tinha mais o que fazer. Mas eu disse que queria a cura. Então nós viemos para o Graacc, em São Paulo, que é referência no tratamento de câncer infantil”, conta Marina. Lá, ele fez vários exames e foi constatado que não havia mais célula cancerígena no organismo. Para garantir que o câncer não voltasse, no dia 27 de março foi realizado um autotransplante de medula óssea, ou seja, com células do próprio menino. O procedimento se assemelha a uma transfusão de sangue. Na última quarta-feira (10), Gabriel nasceu de novo. Isso porque a medula pegou, isto é, a medula já consegue produzir as células do sangue em quantidades sucientes. “Deus abençoou e a medula veio com tudo, renovando a vida do Gabriel, um renascimento, uma nova vida, muitas lágrimas correram em nós, mas hoje é pra comemorar a Pega”, escreveu a mãe do menino na página do Facebook em que diariamente contava o dia a dia da luta que estavam vivenciando. Hoje, com 5 anos e 8 meses de idade, a vontade dele é voltar para casa. A previsão é de que o retorno para Maringá ocorra no fim deste mês. A mate´ria completa é do portal GMC Online, mais detalhes CLIQUE AQUI

Nenhum comentário: