href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

sexta-feira, 15 de março de 2019

Governador lança programa de proteção a alunos e professores

O governador Carlos Massa Ratinho Junior lançou nesta sexta-feira o programa Escola Segura, que reúne uma série de ações e medidas preventivas de segurança para alunos, pais, professores e a comunidade. Entre as medidas, está a presença de policiais militares da reserva nas escolas estaduais. O programa vai ser implementado inicialmente em 100 escolas em Foz do Iguaçu, cidade de fronteira internacional, em Londrina, segunda maior cidade do Paraná, e na Região Metropolitana de Curitiba. O projeto-piloto vai durar 150 dias e deve envolver até 200 policias militares voluntários, que já não estão na ativa. O governador Ratinho Junior afirmou que a tragédia da escola de Suzano, em São Paulo, antecipou o lançamento do programa, previsto para o fim de maio.// SONORA RATINHO JUNIOR.// O Escola Segura vai começar a operar em abril, após seleção das escolas e dos policiais que vão atuar nas unidades. Os profissionais também vão passar por requalificação. A previsão do governo é de um investimento aproximado de 5 milhões de reais com o pagamento de diárias aos soldados, além da aquisição de armas, coletes e demais equipamentos de segurança para os policiais. A decisão de contar com um policial na unidade vai ser da direção da escola, em conjunto com a comunidade escolar. A Secretaria da Educação fará a seleção das escolas que aderirem ao projeto. Entre os critérios técnicos de escolha estão localização, índice de criminalidade, número de estudantes matriculados e funcionamento em três turnos. Mais militares serão convocados a medida em que o projeto for expandido. Além da presença física do policial, haverá o suporte de unidades móveis da PM e integração com o serviço de inteligência da área de segurança. O governador Ratinho Junior destacou que o ambiente escolar tem que ser de tranquilidade. O Escola Segura também vai envolver diálogo com a Defesa Civil, com treinamento e prevenção de situações de crise e calamidade. O programa se complementa com ações de relacionamento da segurança na região do entorno das escolas e na integração das forças policiais com as equipes pedagógicas e famílias dos alunos. O secretário de Segurança Pública do Paraná, Luiz Felipe Carbonell, afirmou que os policiais vão passar por treinamento de 20 horas antes de ingressar nas escolas. Na Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária, o projeto vai ser coordenado pelo Batalhão de Patrulha Escolar Comunitária, que planeja policiais militares atuando em dois turnos: das 7 da manhã às três da tarde e das três da tarde às onze da noite. Serão dois policiais militares por escola. O secretário de Educação, Renato Feder, destacou que o projeto prevê integração entre o corpo pedagógico das escolas e os policiais. A Secretaria de Educação do Paraná também prepara material impresso para orientação e prevenção.  Por AEN.

Nenhum comentário: