href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

segunda-feira, 18 de março de 2019

Adolescente que salvou irmão em incêndio falece no hospital em Curitiba

A adolescente Jaqueline Andrade, 16 anos, que salvou o irmão de um incêndio no dia 15 de janeiro em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, apresentou uma piora geral em seu estado de saúde e perdeu a vida na tarde desta segunda-feira (18) no Hospital Universitário Evangélico MacKenzie, na capital. A informação foi confirmada pela mãe da jovem: “Estou sem chão”, disse Dinair Farias de Andrade. Salva irmão do incêndio - Jaqueline Andrade teve 60% do corpo queimado de forma grave e permaneceu internada desde o dia em que o incêndio atingiu a casa da família. No início da tarde, Dinair conversou com a RICTV Curitiba | Record PR e explicou que o estado de saúde da filha sofreu um agravamento no sábado (16). “De sábado para cá, ela fez um banho terapêutico e eu pensei que ia melhorar. Até que melhorou um pouco. Mas, daí, ela começou a inchar o rosto, sabe. Inchou bastante. Hoje ela amanheceu com dificuldade para respirar, está bem agitada. Ela dá com os pés na parede, ela não está aceitando aquelas máscaras [de oxigênio]. Ela fala que ela não aguenta mais e fala a todo momento que ela não fez nada porque que tentaram matar ela”, contou a mãe. Entenda o caso - No dia do incêndio, a jovem, mesmo com o corpo em chamas, voltou para buscar o irmão de quatro anos. Em uma entrevista à RICTV Curitiba | Record PR, concedida no dia 1º de fevereiro, ela contou como tudo aconteceu.“Quando eu vi, o meu pai começou a gritar ‘a casa pegou fogo’. Daí, todo mundo saiu correndo para fora e eu também saí correndo. Só que eu já ‘tava’ mais queimada porque o fogo começou no meu quarto. Aí, eu peguei e senti falta dele, daí eu voltei correndo e peguei ele”. A menina ainda conta que encontrou a criança apavorada e encolhida atrás do fogão. “Eu não me arrependo. Eu faria tudo de novo”, afirmou com convicção. Estado grave - Segundo Dinair, o fogo queimou a filha de tal forma, que ela não reconheceu a menina quando entrou na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Quando eu cheguei ali na UTI, que eu vi aquela moça com o rosto todo preto, preto, preto, e cabeça muito inchada, eu pensei ‘Meu Deus, o tanto que essa mulher se queimou’, explicou na ocasião. E menina precisou permanecer na UTI por 15 dias e, por duas vezes, teve um agravamento em seu estado de saúde para só então começar a melhorar e ser transferida para um quarto da instituição de saúde. Suspeita de incêndio criminoso - A casa da família ficou completamente destruída, no entanto, em meio aos escombros, a polícia encontrou um coquetel motolov - um tipo de bomba incendiária de fabricação caseira. As informações são do portal Ric Mais. Vejam a matéria completa CLIQUE AQUI.

Nenhum comentário: