href="https://1.bp.blogspot.com/-6gy4glK0nPk/XHGyQlw1tUI/AAAAAAADRDg/g44NPL06wLs5iJ6w2ILCd_7b2dAUxF7iACLcBGAs/s1600/na-chapa-restaurante.jpg" imageanchor="1" style="margin-left: 1em; margin-right: 1em;">
PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009
Curta nossa página no Facebook e receba as atualizações de todas as notícias

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Neurologista do Hospital da Providência orienta sobre os sintomas do AVC

O Acidente Vascular Cerebral, popularmente conhecido como “derrame”, é a ocorrência de uma lesão vascular cerebral que aparece de forma súbita. Segundo o Ministério da Saúde, em pesquisa realizada em 2016, o AVC é a causa mais frequente de óbito na população adulta no Brasil e consiste no diagnóstico de 10% das internações no Sistema Único de Saúde (SUS).De acordo com o Neurologista do Hospital da Providência, Dr. Gustavo Osugue, a doença é uma lesão vascular cerebral que aparece de forma súbita. “As principais causas que provocam o aumento na chance de desenvolver um AVC são os fatores de risco, a hipertensão arterial (pressão alta), diabetes, colesterol, triglicerídeos elevados, tabagismo, alcoolismo e sedentarismo”, afirma. Sintomas - De acordo com o médico, os sintomas dependem da área do cérebro atingida. “Podem haver alteração na fala, visão, deglutição, equilíbrio, sensibilidade, paralisia nos membros e face”, afirma Dr. Gustavo. Quando buscar ajuda. Alguns procedimentos iniciais podem ajudar a identificar o AVC. “Para saber se alguém pode ter sofrido um AVC, peça para a pessoa levantar os braços, sorrir, repetir uma frase e colocar a língua para fora e para os lados e caso apresente dificuldades nessas tarefas, ela deve ser levada imediatamente para um hospital”, destaca Dr. Gustavo.  Para prevenção, cuidados simples podem ajudar. “O controle dos fatores de riscos, das doenças cardíacas, enxaqueca e controle do uso de anticoncepcionais hormonais, são primordiais para a prevenção do AVC, assim como a realização de atividades físicas”, afirma Dr. Gustavo. Cuidados Pós AVC. Após ter sofrido AVC, sequelas podem permanecer dependendo do tipo de acidente vascular cerebral sofrido. “É necessário individualizar cada caso, mas geralmente, é necessário o acompanhamento com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e controle rigoroso dos fatores de riscos”, finaliza.

Nenhum comentário: