PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Apucarana sedia audiência pública do plano de desenvolvimento regional

A primeira audiência pública do Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável da Metrópole Paraná Norte acontecerá em Apucarana, no dia 4 de dezembro, às 18h30, no auditório do Senac. No evento, que é aberto ao público, será apresentado o plano desenvolvido a partir das oficinas realizadas nos 15 municípios envolvidos.O prefeito de Apucarana, Beto Preto, afirma que a audiência contará com a participação de prefeitos, secretários e técnicos dos municípios. “Quero convocar especialmente a população de Apucarana e a sociedade civil organizada. Vamos discutir o futuro do Norte do Paraná e como os municípios e entidades vão se relacionar enquanto região metropolitana, no eixo Londrina/Apucarana /Maringá. É a segunda chance que estamos tendo para implantar esse planejamento e não podemos perder essa oportunidade”, afirma Beto Preto, referindo-se a estudos anteriores feitos para a criação da Metrópole Linear Norte (Metronor), entre as décadas de 70 e 80.

De acordo com Carlos Mendes, superintendente do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan), a partir de janeiro Apucarana também sediará as reuniões com as câmaras técnicas. “Esta fase, chamada de Etapa de Contextualização, será centralizada em Apucarana, na estrutura do Senac, onde os grupos de trabalho de todos os municípios envolvidos iniciarão a elaboração dos projetos”, frisa Mendes.O Plano de Trabalho a ser apresentado na audiência da semana que vem foi consolidado com as contribuições recebidas durante as oficinas de engajamento, realizadas nos 15 municípios entre julho e agosto deste ano. Na audiência, a comunidade poderá ter acesso às informações principais sobre o estudo, seus objetivos e metas, sendo também mais uma oportunidade de enviar contribuições para o plano.INTEGRAÇÃO – Para Cláudio Marchand Krüger, coordenador executivo do Plano da Metrópole Paraná Norte, a principal demanda, principalmente dos municípios menores, é ter maior integração com as cidades-polo, vendo no Plano uma oportunidade para aumentar a competitividade econômica e consequentemente a melhoria da qualidade de vida. “Municípios maiores teriam, aparentemente, uma situação mais confortável, inclusive com alguns planos de desenvolvimento já em andamento. Por outro lado, as oficinas mostraram a desigualdade que ocorre entre as cidades-polo e os municípios vizinhos, havendo um grau de isolamento que poderia ser gradualmente superado com uma maior integração social e econômica”, afirmou.Um dos objetivos principais da próxima etapa do plano, denominada Etapa de Contextualização, é mapear as potencialidades (forças, vocações), deficiências (fraquezas, limitações), oportunidades e ameaças ao desenvolvimento da região. Essas informações estão em fase de coleta e análise pela equipe técnica do plano. “A integração das potencialidades e oportunidades e também a união de forças para fazer frente às deficiências e ameaças são os objetivos principais do Plano e devem ser analisados com mais detalhamento na Fase 3 – Cenários e Visão de Futuro”, completou Krüger.O Plano de Desenvolvimento Regional Sustentável da Metrópole Paraná Norte é um projeto do Governo do Estado do Paraná com apoio do Banco Mundial que vai criar um grande corredor de desenvolvimento unificado e sustentável unindo as cidades de Arapongas, Rolândia, Cambé, Londrina, Ibiporã, Jataizinho, Apucarana, Paiçandu, Maringá, Sarandi, Marialva, Mandaguari, Jandaia do Sul, Cambira e Mandaguaçu. Ao todo, os 15 municípios concentram, em uma área de 6.225 km², 1,5 milhão de habitantes e um PIB de R$ 35 bilhões.

Nenhum comentário: