PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

segunda-feira, 3 de setembro de 2018

PT vai recorrer ao Supremo por registro de candidatura de Lula

O ex-prefeito de São Paulo e o candidato à vice-presidência do PT, Fernando Haddad, anunciou hoje, após visita ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na sede da Polícia Federal, em Curitiba, onde ele está preso desde abril, que o partido vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que rejeitou o registro da candidatura do petista à Presidência. Segundo Haddad, a legenda vai entrar com dois recursos com pedido de liminar para tentar reverter a decisão do TSE e garantir o registro da candidatura de Lula, antes de vencer o prazo de dez dias dados pelo tribunal para que a sigla substitua o candidato. O PT também pretende pedir nova manifestação da Organização das Nações Unidas (ONU). “Ele (Lula) tomou a decisão de peticionar junto à ONU para que se manifeste sobre a decisão das autoridades eleitorais brasileiras em relação à determinação da ONU de que sua candidatura fosse registrada pelo TSE”, explicou Haddad. “Em segundo lugar, de peticionar junto ao Supremo Tribunal Federal. Serão duas petições, dois recursos com pedido de liminar tanto na esfera eleitoral quanto na esfera criminal para que ele tenha direito de registrar sua candidatura no prazo de dez dias. Para que não haja a necessidade de substituição (do candidato)”, afirmou o vice. “Essas são as decisões do presidente na defesa de sua dignidade em respeito à soberania do povo de escolher o seu presidente”, disse Haddad. “As pessoas estão com a vida cada vez mais difícil. As notícias ruins se avolumam.
E o presidente Lula, a sua coligação e o seu plano de governo, no nosso entendimento é o caminho para sair dessa situação”, defendeu. Haddad não quis responder o que o partido fará caso os recursos, inclusive os pedidos de liminar, sejam rejeitados pela Justiça. “Por isso que o pedido de liminar está sendo protocolado junto com os recursos. De maneira que nós teríamos aí até terça-feira da semana que vem para serem julgados pelo menos liminarmente”, alegou. Sobre a decisão do TSE, que proibiu o PT de apresentar Lula como candidato do partido na propaganda eleitoral, Haddad alegou que a sigla está fazendo ajustes no material de campanha. “Nós tivemos um prazo muito exiguo de tempo para ajustar todas as plataformas: TV, rádio, internet. É muita coisa para ajustar”, argumentou. (Bem Paraná).

Nenhum comentário: