PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

Deputados buscam informações no Ministério da Agricultura sobre exportação da carne de frango do Paraná

Na terça-feira, 14, uma comitiva de deputados estaduais paranaenses esteve em Brasília em audiência com o Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, buscando informações sobre os embargos à exportação de carne de aves produzidas no Paraná para a União Europeia. Reichembach, Claudio Palozi, Schiavinato, Jonas Guimarães, e o gerente da Ocepar, Flavio Turra, estiveram presentes. Para Reichembach, a reunião foi produtiva e esclarecedora. “O contato com o Ministério é importante para levarmos informações concretas das ações que serão tomadas para os produtores, frigoríficos e aviários, que estão sendo diretamente prejudicados com a proibição das exportações”, afirma. O Paraná é o maior produtor de carne de frango do Brasil, com cerca 19 mil avicultores, e teve 8 frigoríficos barrados pela União Europeia: BRF (unidades de Ponta Grossa, Toledo e Francisco Beltrão), Copagril (M. C. Rondon), Copacol (Cafelândia), Coopavel (Cascavel), Avenorte (Cianorte), e Lar (Matelândia). A BRF de Francisco Beltrão suspendeu a linha de produção de perus na unidade a partir de 15 de agosto. O Ministério da Agricultura pretende, nos próximos dias, implementar um programa para o recolhimento de carcaças, e também proibir o uso no Brasil da ractopamina (aditivo alimentar para obter carne com menos gordura). Todas as medidas serão debatidas em breve com o setor. “Uma medida importante que o Ministério vem tomando é o envio de adidos, que são representantes diplomáticos para assuntos comerciais, para o relacionamento político com nações que o Brasil já faz negócios ou possíveis investidores, ampliando e fortalecendo os mercados”, ressalta Reichembach. O ponto principal de expectativa para o segmento é a organização de um novo meio de pagamento dos profissionais que fazem a fiscalização e inspeção dos frigoríficos, que hoje é feito pelas próprias indústrias. Desde abril, quando houve a proibição das exportações, o Ministério vem cumprindo uma série de exigências para se encaixar no padrão imposto pelo bloco econômico. Assim que forem cumpridos todos os itens, uma missão da Europa virá ao Brasil para a verificação e possível volta das transações comerciais. Por Carlos Santos (Assessoria/Min. da Agricultura)

Nenhum comentário: