PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

quinta-feira, 14 de junho de 2018

MP critica falta de servidores e acúmulo de perícias pendentes no IML de Londrina

Ofício assinado pelo Ministério Público pede resoluções à Polícia Científica sobre a "precariedade" dos serviços prestados pelo Instituto QR Cod
O MP (Ministério Público) encaminhou nesta terça-feira (12), um documento para a Polícia Científica do Paraná cobrando melhorias nos serviços prestados pelo IML (Instituto Médico Legal) em um prazo de 90 dias. Para o Ministério, o quadro de peritos e outros funcionários do IML de Londrina está abaixo do necessário para atender às demandas da população. Ainda que o prédio do Instituto esteja em boas condições de trabalho, conforme salienta o MP, os serviços funcionam com retardo. "Há um atraso consistente na conclusão de perícias, não há plantão de 24 horas", explica o promotor Ricardo Domingues, autor do pedido. A preocupação do MP é que famílias em situações de vulnerabilidade tenham que aguardar as perícias por um longo intervalo. Entre as cobranças, sublinha-se o elevado número de laudos pendentes de finalização, devido ao número reduzido de peritos. "Familiares que precisam retirar o corpo não podem fazê-lo pela madrugada. Vítimas de estupro, que querem se livrar dessa situação com rapidez têm de aguardar longos períodos por parte do IML", pontua Domingues. São 21 funcionários que atuam hoje no Instituto: 10 peritos, cinco terceirizados, 10 servidores administrativos e dois estagiários. O documento conclui que o número de servidores administrativos não é suficiente para o processamento ágil de toda a demanda do IML, que atende a diversas comarcas. A nova sede do Instituto foi inaugurada em março deste ano. O próximo passo seria a nomeação de mais quatro novos servidores, o que não foi feito até agora. As contratações, esperadas para o início de abril, devem acontecer até o dia sete de julho, como explica o presidente do Sinpoapar (Sindicato dos Peritos Oficiais e Auxiliares do Paraná), Alexandre Brondani. Para ele, as nomeações foram postergadas pela mudança no governo estadual. "O concurso já está homologado desde o ano passado. Tratando-se da legislação eleitoral, a contratação tem de ocorrer até 180 dias antes do encerramento do mandato da governadora Cida Borghetti (PP)". "A questão do IML está encaminhada, o processo de nomeação de auxiliares de necropsia está em andamento", expõe. Ainda assim, o número de servidores esperados em julho é baixo, mas, o sindicalista alega que a contratação desses profissionais "daria um fôlego para o IML pelo menos até o próximo governo". Informaç~eos da Folha de Londrina, LEIA MAIS.

Nenhum comentário: