PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

sábado, 23 de junho de 2018

Corpo de criança, com caixão, desapareceu no Paraná

Um dia após enterro, caixão é levado de cemitério com corpo de bebê dentro. A pequena Valentina de Fátima Vieira morreu aos 13 meses de vida
Um dia após ser enterrado, o corpo de um bebê foi retirado do Cemitério Municipal do Boqueirão, em Curitiba, e está desaparecido. Valentina de Fátima Vieira morreu aos 13 meses de vida, durante atendimento na unidade de pronto-atendimento do bairro. A família foi comunicada do sumiço no começo da tarde desta sexta-feira (22) e disse que o único sentimento no momento é o de agonia. De acordo com familiares, Valentina morreu na quarta-feira e há suspeita de que tenha sido vítima de uma gripe. Ela foi atendida inicialmente na terça (19), mas retornou para casa após ser diagnosticada com uma febre de 37,9°. No dia seguinte, o estado de saúde dela piorou e a pequena morreu durante procedimento de transferência da UPA do Boqueirão para o Hospital de Clínicas. A tia, Adriane Cristiane de Souza, contou à Banda B que trabalhadores do cemitério acreditam que o crime tenha ocorrido entre 9 e 10 horas da manhã. “Uma testemunha comentou que viu um homem, de aparência idosa, deixando o cemitério com algo branco, que pode ser o caixão, por volta deste horário. O comunicado para a Guarda Municipal, porém, aconteceu só no final da manhã. No momento, só temos dúvidas e não sabemos o que aconteceu”, disse. Bastante emocionada, Adriane contou que a família visitou o cemitério durante a tarde. O túmulo de Valentina estava aberto e, no local, restaram apenas flores do velório. O lacre que fechava o caixão foi encontrado no fim do corredor em que a pequena foi enterrada. “A gente precisa achar o corpo para saber o que aconteceu. O objetivo era pegar a Valentina ou outro corpo qualquer? Para rituais talvez? Como essa pessoa sabia que a Valentina estava ali? Não temos resposta e nem tempo para o luto”, lamentou. A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso e ainda não possui uma suspeita do que possa ter ocorrido. Qualquer informação pode ser repassada à delegacia pelo telefone: 0800 6431 121. Mais casos - Em datas anteriores, o Cemitério do Boqueirão já teve outras violações de túmulos. Em outubro de 2017, por exemplo, cinco túmulos foram violados em menos de um mês. Dois deles eram de bebês. Nessas situações, a Polícia Civil investigou a possibilidade de necrofilia. As informações são do portal da Rádio Banda B.

Nenhum comentário: