PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

quinta-feira, 22 de março de 2018

Apucarana renova parceria do Projeto Casa Fácil

Iniciativa atende famílias de baixa renda com projeto arquitetônico residencial e assistência técnica gratuitos na execução de moradias de até 70 metros quadrados
Em ato nesta terça-feira (20/03), no gabinete municipal, o prefeito de Apucarana Beto Preto (PSD), o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR), engenheiro civil Ricardo Rocha de Oliveira e o presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Apucarana (AEAA), engenheiro civil Edem Corbacho, assinaram documento renovando o convênio do Programa Casa Fácil. A parceria, que existe desde 1989, é uma das mais longínquas do Paraná e atende famílias com renda mensal de até três salários mínimos com projeto arquitetônico residencial e assistência técnica gratuitos na execução de moradias de até 70 metros quadrados. “O CREA é uma entidade muito ativa e grande parceria de Apucarana tanto no desenvolvimento de projetos como o Casa Fácil, quanto nos trabalhos de fiscalização de obras. Com um conselho de profissionais atuantes, também colabora decisivamente com diversas outras questões importantes relacionadas ao planejamento urbano de nossa cidade”, pontuou o prefeito Beto Preto. A longevidade da parceria foi enaltecida pelo presidente do CREA-PR, Ricardo Rocha destacou. “Esse é um programa que tenho grande carinho, pois contribui para que famílias de baixa renda possam de forma efetiva melhor suas condições de moradia, construindo e tendo um imóvel legalizado. Parabenizo a prefeitura pela parceria, uma das mais duradouras do Paraná”, declarou Rocha. Ao longo do último ano, cerca de 250 famílias tiveram acesso ao Programa Casa Fácil em Apucarana. O gerente da Regional Apucarana do CREA, engenheiro civil Jeferson Antônio Ubiali destaca que o primeiro passo é procurar a prefeitura. “Existem critérios a serem preenchidos para que a família acesse o programa, como renda mensal de até três salários mínimos, posse definitiva do imóvel onde será feita a construção, impostos municipais em dia, entre outras exigências, então a pessoa deve primeiramente ir até o protocolo da prefeitura, que fará a triagem da documentação exigida”, explicou Ubiali. Uma vez aprovada a inserção da família no programa, a AEAA irá disponibilizar modelos de projetos. “São cerca de 30 modelos de edificações de até 70 m², várias opções que a pessoa poderá escolher a que mais se adéqua às suas necessidades”, pontuou o gerente regional do CREA-PR. Ele alerta que construções financiadas pela Caixa Econômica Federal não se enquadram no programa. Com o modelo de projeto definido, o beneficiado terá a chancela do conselho regional do Paraná para iniciar a obra, com acompanhamento técnico da construção e redução de taxas. “O projeto é o primeiro passo para ter uma obra legalizada. Ao ter acesso ao “Casa Fácil”, a família terá uma habitação edificada com toda segurança, economia, conforto e eficiência”, concluiu Ubiali. LEIA MAIS.

Nenhum comentário: