PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9626-2009

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Polícia encontra manchas de sangue na casa de suspeitos da morte de adolescente

Segundo a perita Odete Marquini, os móveis poderiam servir de anteparo para os respingos de sangue, e a limpeza do assoalho também foi muito bem feita
Com o uso de luminol, substância que permite a identificação de sangue em pontos invisíveis a olho, peritos da seção técnica do Instituto de Criminalística de Londrina, identificaram nesta quinta-feira (1º), manchas de sangue nas paredes da casa dos suspeitos do crime que tiraram a vida do adolescente Udson Evandro Leal Magri, morador de Jardim Alegre, Quando chegaram a casa, que fica na Av. Brasil, 104, em Jardim Alegre, os peritos perceberam que as manchas de sangue foram limpas e os móveis retirados antes da chegada da polícia. Segundo a perita Odete Marquini, os móveis poderiam servir de anteparo para os respingos de sangue, e a limpeza do assoalho também foi muito bem feita. “Mas mesmo assim, encontramos vestígios na parede de um quarto, no corredor e na porta da sala. Na porta foi onde encontramos maior quantidade onde possivelmente o crime ocorreu”. Os suspeitos de participar no crime, Maurício de Oliveira, 34 anos, e Eudner Dutra Santos, 19 anos, conhecido como Dinei foram presos em Mandaguari na última segunda-feira, e se encontram detidos na 54ª Delegacia Regional de Polícia. Conforme o delegado Gustavo Dante é mais uma etapa da investigação que corrobora o envolvimento dos suspeitos no crime. “Confirmou a nossa suspeita que o Hudson tinha sido morto na casa. Isso vai ajudar muito nas investigações, até porque a versão apresentada pelos dois é totalmente incompatível com a forma como a vítima foi morta. Trata-se de uma prova técnica que possivelmente vai auxiliar muito o judiciário no momento do júri”, enfatiza Dante. As informações são do Jornal Tribuna do Norte, LEIA MAIS.

Nenhum comentário: