PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9977-1422

domingo, 7 de janeiro de 2018

Revolta marca sepultamento da mulher que pesava mais de 300 kg após bariátrica

O clima de revolta marcou o velório da moradora de Barra Bonita (SP) que pesava mais de 300 quilos e morreu na madrugada da quinta-feira, (4). A dona de casa Nadir da Silva, de 54 anos, foi enterrada na tarde do mesmo dia, em uma operação especial por conta do excesso de peso. A mulher, que já tinha feito uma cirurgia bariátrica há cerca de cinco anos, além de outros tratamentos como colocação de balão gástrico e tratamento em spa, não conseguiu diminuir o excesso de peso, o que agravou seu quadro de saúde. Durante o velório, familiares acusaram as autoridades de saúde de Barra Bonita de falta de atenção em relação ao caso da mulher. Eles dizem que a internação, há tempos solicitada, só foi providenciada quando o quadro se agravou de forma severa e foi divulgado pela imprensa. "Sempre que a gente pedia para internar eles diziam para ter calma. Arrumaram um leito porque levamos o caso à imprensa, só que já era tarde. Foi muito descaso", disse Ana Caroline Silva, sobrinha de Nadir. Procurado, o secretário de Saúde Barra Bonita, Jorge de Freitas, alega que não houve falta de atenção e afirma que fez tudo o que estava ao seu alcance. Segundo Freitas, quando o quadro da paciente se agravou, no último dia 28 de dezembro, a vaga de internação foi conseguida no Hospital São José, em Barra Bonita. Entretanto, o secretário diz que antes já havia tentado encaminhar a paciente para vários outros hospitais com capacidade de atender caso como o dela. Ele diz que tem registrado todas essas tentativas. "Não dá para acusar o poder público de falta de atenção e descaso. Temos de lembrar que foi justamente o poder público que garantiu que ela [Nadir] fizesse a bariátrica e colocasse o balão gástrico" , diz o secretário de Saúde. Peso como inimigo - A irmã da dona de casa, Nair da Silva, conta que o acúmulo de peso começou devido à perda da mãe e do irmão. Nadir entrou em depressão e não conseguiu mais sair da cama. A obesidade mórbida também a impedia de fazer exames, já que os equipamentos de hospita As informações são do site do Jornal Tribuna do Norte, foto da TV TEM.

Nenhum comentário: