PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9977-1422

sábado, 28 de outubro de 2017

Departamento de Saúde de Ivaiporã e a Vigilância Epidemiológica orientam cuidados para evitar surto de varicela

O diretor do Departamento Municipal de Saúde de Ivaiporã, Claudeney Martins, e a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Nilza Fernandes, alertam sobre o aumento nos casos de varicela no município, inclusive com surtos em escolas – conforme era esperado para esta época do ano. A varicela é uma doença infecciosa muito frequente. Provoca pequenas vesículas (contendo líquido) ou pequenas pápulas distribuídas pelo corpo, causando muita coceira. A doença é frequentemente acompanhada por uma febre leve. Segundo Claudeney Martins e Nilza Fernandes, a varicela é mais frequente em crianças (principalmente com menos de 10 anos). Mas pode atingir adolescente ou adulto. Nas crianças, a varicela é benigna em quase todos os casos – exceto em crianças imunodeprimidas ou recém-nascidos. No máximo, pode deixar algumas eternas cicatrizes. A varicela é muito contagiosa e transmitida entre as crianças por meio de minúsculas gotículas de saliva, espirros ou durante a fala. Caso a criança esteja com varicela, Claudeney Martins e Nilza Fernandes aconselham a não leva-la à escola por cerca de 10 dias, uma vez que pode contaminar muito rapidamente as outras crianças. A transmissão ou contágio da varicela pode também ocorrer antes do aparecimento das vesículas ou feridas da varicela. Normalmente, dois a três dias antes destes sintomas cutâneos. A transmissão continua até que as vesículas sejam transformadas em cascas. Neste período, o portador deve permanecer em casa evitando aglomerações de pessoas. Em geral, a varicela pode ser diagnosticada facilmente por um profissional de saúde em função das lesões visíveis e dos sintomas associados. Claudeney Martins e Nilza Fernandes reforçam que é sempre bom procurar logo uma Unidade de Saúde para que possa receber as orientações necessárias. Varicela na gravidez Claudeney Martins disse que uma grávida que nunca teve varicela no passado ou que não foi vacinada deve evitar qualquer contato com pessoas contaminadas pela doença. “Em caso de varicela em mulheres grávidas, avise imediatamente os profissionais de saúde”, alertou. Desde a década de 80 existe uma vacina (à base do vírus vivo da varicela) contra a varicela que pode ser utilizada desde os 12 meses aos 4 anos de idade. Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ivaiporã/Lúcia Lima.

Nenhum comentário: