PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9977-1422

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Pacientes da UTI do Hospital Municipal de Maringá são transferidos por problema na rede de oxigênio

Sete pessoas foram levadas para três hospitais da cidade. Unidade adia cirurgias marcadas para segunda-feira (18)
Conforme o portal G1, sete pacientes da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal de Maringá, no norte do Paraná, precisaram ser transferidos às pressas para outros hospitais da cidade devido a uma queda de pressão na rede de oxigênio hospitalar, no início da tarde deste domingo (17). De acordo com o secretário de Saúde, Jair Biatto, três pacientes foram levados para o Hospital Santa Rita, três para a Santa Casa e um para o Hospital Memorial. "Outros dois pacientes que estavam na unidade não precisaram ser transferidos porque não utilizavam oxigênio no tratamento", explica. O transporte dos pacientes contou com a ajuda do Corpo de Bombeiros, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e de uma empresa particular. Segundo o secretário, os transferidos estão ocupando leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) nos hospitais particulares da cidade. "Não houve nenhum prejuízo às pessoas transferidas", garante Biatto. Outros quatro pacientes da clínica médica, que utilizam oxigênio, não foram transferidos porque a rede ainda opera com baixa pressão. "Não podemos deixar aqui os pacientes que precisam de ventilação mecânica, que são casos mais graves, e demandam de alta pressão", diz o secretário. A UTI do Hospital Municipal tem 10 leitos e apenas dois estavam ocupados no final da tarde deste domingo. "Caso cheguem outros pacientes que não precisem de respirador, poderão ser internados normalmente na unidade", indica. Cirurgias adiadas - Biatto explica ainda que cerca de 10 cirurgias de alta complexidade, que estavam marcadas para segunda-feira (18), foram adiadas por conta do problema no oxigênio. Segundo ele, as famílias e pacientes receberam um comunicado e todos os procedimentos serão remarcados. Outras 20 cirurgias de menor complexidade devem ser realizadas normalmente. LEIA MAIS.

Nenhum comentário: