PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9977-1422

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Notícias do Dia

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Supremo Tribunal Federal a revogação da decisão que libertou o goleiro Bruno Fernandes da prisão. A liminar foi concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello em fevereiro. O caso mudou de relator e está agora no gabinete de Alexandre de Moraes. O habeas corpus está na pauta da sessão da próxima terça-feira. Condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato de Eliza Samudio, Bruno não teve a decisão confirmada em segunda instância.
O juiz Sérgio Moro interroga hoje o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-assessor dele Branislav Kontic numa ação que apura se o petista recebeu propina da Odebrecht para atuar em favor da empreiteira. Também serão interrogados o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e o ex-executivo da construtora Agenor Franklin Magalhães Medeiros num processo sobre um tríplex do Guarujá, no litoral de São Paulo, que seria destinado ao ex-presidente Lula. Léo Pinheiro e o petista se tornaram réus nesse caso no ano passado.
A JBS retomará o abate em seis frigoríficos na segunda-feira que vem. As unidades estavam paradas desde o início do mês após a Operação Carne Fraca. Com os embargos de diversos países às carnes brasileiras, o estoque do produto ficou acumulado. Outros quatro frigoríficos só voltam a funcionar em dois de maio. A JBS e a concorrente BRF perderam juntas quase cinco bilhões e meio de reais em valor de mercado desde o começo da ação da Polícia Federal.
O plenário da Câmara aprovou um requerimento de urgência para acelerar o projeto da reforma trabalhista. Um dia antes, os deputados haviam rejeitado um pedido semelhante. A solicitação, no entanto, foi novamente colocada em pauta pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia. Eram necessários pelo menos 257 votos favoráveis à urgência. Depois da atuação do Planalto, os 230 votos de terça foram convertidos em 287 ontem.
O plenário do Senado aprovou ontem  o projeto de lei que torna inelegíveis pessoas condenadas por envolvimento direto ou indireto com exploração sexual de crianças e adolescentes. A matéria estava em regime de urgência e foi aprovada 68 votos favoráveis a 1. O impedimento da eleição, no entanto, ocorra somente após condenação por órgão colegiado, nos mesmos termos da  Lei da Ficha Limpa.  O texto seguirá agora para a Câmara dos Deputados.

Nenhum comentário: