PARA CONTATOS ADICIONE O EMAIL: studiowj@hotmail.com OU (43) 9 9977-1422

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Bactérias da boca podem provocar infecção grave no cérebro, como de Banhara

Isso ocorre principalmente quando fazemos algum tratamento que acaba com a dor, mas não elimina o foco infeccioso – ou seja, as bactérias
Matéria encaminhada pelo Dr. Bruno Reche
Uma matéria do portal Uol, foi encaminhada pelo dentista Dr. Bruno Reche, de Rosário do Ivaí, e destaca uma situação preocupante. Diversas bactérias vivem na nossa boca. Elas são importantes, participam do início do processo de digestão dos alimentos, mas podem causar infecções se estivermos vulneráveis. E se não for corretamente tratada, uma infecção no dente ou na gengiva pode virar um problema mais grave, se espalhar para outros órgãos, como pulmão, coração e cérebro e levar à morte. A modelo Renata Banhara (https://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2017/04/10/renata-banhara-estainternada-com-infeccao-cerebral-grave-diz-assessoria.htm) foi internada na última quarta-feira (5) no Hospital Albert Einstein com uma infecção bacteriana no cérebro e precisou passar por cirurgias. De acordo com um relato da própria modelo, uma bactéria que se alojou em um de seus dentes após um tratamento de canal se espalhou para os seios da face e chegou ao cérebro. Ela não teria sentido dor nem tido outros sintomas de inflamação no dente ou sinusite – como é chamada a inflamação nos seios da face. "A cavidade bucal possui uma quantidade enorme de micro-organismos, uma flora extremamente rica e diferenciada", diz Waldyr Antonio Jorge, cirurgião bucomaxilofacial e diretor do Hospital Universitário da USP (Universidade de São Paulo). Contudo, quando temos uma inflamação ou ferida na boca, essas bactérias podem se proliferar neste local vulnerável e formar um foco infeccioso. "Não é só o tratamento de canal que pode causar uma infecção mais séria, mas uma gengiva inflamada, um problema periodontal [do tecido de sustentação dos dentes]", explica o cirurgião dentista Alexandre Bussab. Quando isso ocorre, nosso organismo emite sinais de alerta: dor, pus e febre. "A dor é o alerta para você procurar um dentista. Ou um otorrino, se for problema de amídala ou ouvido", diz Waldyr Jorge. Diversas bactérias vivem na nossa boca. Elas são importantes, participam do início do processo de digestão dos alimentos, mas podem causar infecções se estivermos vulneráveis. E se não for corretamente tratada, uma infecção no dente ou na gengiva pode virar um problema mais grave, se espalhar para outros órgãos, como pulmão, coração e cérebro e levar à morte. A modelo Renata Banhara foi internada na última quarta-feira (5) no Hospital Albert Einstein com uma infecção bacteriana no cérebro e precisou passar por cirurgias. De acordo com um relato da própria modelo, uma bactéria que se alojou em um de seus dentes após um tratamento de canal se espalhou para os seios da face e chegou ao cérebro. Ela não teria sentido dor nem tido outros sintomas de inflamação no dente ou sinusite – como é chamada a inflamação nos seios da face. "A cavidade bucal possui uma quantidade enorme de micro-organismos, uma flora extremamente rica e diferenciada", diz Waldyr Antonio Jorge, cirurgião bucomaxilofacial e diretor do Hospital Universitário da USP (Universidade de São Paulo). Contudo, quando temos uma inflamação ou ferida na boca, essas bactérias podem se proliferar neste local vulnerável e formar um foco infeccioso. "Não é só o tratamento de canal que pode causar uma infecção mais séria, mas uma gengiva inflamada, um problema periodontal [do tecido de sustentação dos dentes]", explica o cirurgião dentista Alexandre Bussab. Quando isso ocorre, nosso organismo emite sinais de alerta: dor, pus e febre. "A dor é o alerta para você procurar um dentista. Ou um otorrino, se for problema de amídala ou ouvido", diz Waldyr Jorge. Infecção pode ser silenciosa - Segundo os especialistas, uma infecção na boca pode, sim, ser silenciosa. Isso ocorre principalmente quando fazemos algum tratamento que acaba com a dor, mas não elimina o foco infeccioso – ou seja, as bactérias. Exemplo disso é o chamado tratamento de canal, quando é necessário cuidar de problemas na polpa dentária, o tecido mole que fica no interior do dente. Uma cárie profunda ou uma fratura pode necrosar esse tecido com nervos e vasos sanguíneos, o que abre espaço para bactérias que causam infecção. Retirar o tecido elimina a dor. Mas se o local não for bem desinfetado, as bactérias permanecem ali e podem causar problemas maiores. "Os microorganismos que ficam vão se proliferando, se infiltrando em tecidos mais tênues, mais frágeis, não só pelo osso", diz Waldyr Jorge. Dessa forma, a infecção pode se espalhar para a mandíbula (arcada inferior) ou maxilar (arcada superior) da boca, e dali para outras partes, como órgãos do tórax, face e região intracraniana. "Pode desaguar em uma septicemia [infecção generalizada], quadra grave de infecção, que pode levar à morte", completa o cirurgião. LEIA MAIS

Nenhum comentário: